Carf decide que compensação não equivale a pagamento para fins de denúncia espontânea

 

work desk

 

Conforme preceitua o artigo 138 do Código Tributário Nacional, se o contribuinte realizar o pagamento do tributo atrasado antes de qualquer ocorrência de procedimento de fiscalização, concede-se a ele à exclusão da multa que lhe seria aplicada em razão de não ter realizado o pagamento no prazo devido.

No entanto, caso o contribuinte utilize da compensação para quitar os débitos tributários, não poderá valer-se da da denominada denúncia espontânea. O entendimento é do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (CARF), em decisões tomadas pela 3ª Turma da Câmara Superior.

Um dos casos analisados pelo CARF figurava o Banco Itaú. O banco havia ajuizado um Mandado de Segurança questionando determinada exação, desistindo posteriormente para tentar compensar os valores devidos via Dcomp, não considerando entretanto a multa, pois acreditava-se à época que fazia jus a denúncia espontânea.

Rodrigo da Costa, presidente da 3ª Seção de Julgamento não concordou com a empresa, argumentando que a compensação e o pagamento “são formas de extinção distintas”.

 

Fonte: Jota

https://www.jota.info/tributos-e-empresas/tributario/denuncia-espontanea-carf-01082018