Antes de qualquer elucidação, deve-se ter em mente que em números, as mulheres representam aproximadamente 48% do total de advogados no Brasil. A perspectiva, inclusive, é de que estejamos em número superior ao dos homens até o ano de 2022.

Na mesma linha, em pesquisa a alguns dos maiores escritórios de advocacia do Brasil no estilo full service, chegou-se à conclusão de que na maioria deles, o número de mulheres associadas ou contratadas é superior ao número de homens.

No entanto, o problema começa agora: quando se analisa as sociedades de escritórios, as mulheres não chegam ao percentual 30% da composição no quadro daqueles que comandam os escritórios, os sócios. Parece haver algo muito errado…

Ao que parece, as mulheres embora estejam em número praticamente igual ao homens, ocupando em alguns casos, até mesmo a maior parcela das vagas, porque é então que em cargos de chefia ou mesmo nas sociedades dos escritórios o mesmo não ocorre?

AS DIFICULDADES ENFRENTADAS POR MULHERES ENQUANTO ADVOGADAS

NETWORKING

É comum no mundo dos negócios os convites para almoço, jantar ou mesmo um drink no final de tarde para oportunizar o desenvolvimento do aspecto comercial de cada profissional, requisito indispensável para que possa captar clientes. Como se sabe, não se chega ao topo de nenhum escritório de advocacia sem ter ao seu lado bons clientes.

Neste ponto, a mulher já se depara com a primeira dificuldade: como convidar um potencial cliente para um almoço sem que ele pense que o intuito do almoço nada se relaciona com o trabalho?!

DUPLA JORNADA

Além de se depararem com a incômodo de ser mal interpretada por um eventual cliente, ou mesmo um colega de trabalho, a mulher ainda precisa sair do trabalho e enfrentar os afazeres domésticos, bem como ainda empregar cuidado com os filhos, auxiliar trabalhos da escola, verificar a agenda e ainda ter tempo para estudar, considerando que no direito é impossível dar sequência na carreira sem a continuidade dos estudos.

Em muitos casos, como a mulher também possui planos familiares e precisa (biologicamente falando) se programar para ser mãe no momento em que a corrida profissional está ainda fortemente acirrada (entre os 30 e 40 anos de idade), é comum que as mulheres façam uma interrupção na carreira.

PROFISSÃO MASCULINA

Historicamente, tanto a atuação na advocacia quanto na magistratura, são masculinas. Portanto, exercer a profissão em ambientes assim ainda são desafios diários que as operadoras do direito encontram.

Em certa sessão de julgamento presidida pela relatora do caso, ministra Carmem Lúcia, ao perceber que os ministros estavam tomando tempo de voto da ministra Rosa Weber, deu a informação de que mulheres são 18 vezes mais interrompidas, em tribunais, do que os ministros. E sobre o STF, complementou: “Não nos deixam falar, então não somos interrompidas”.

O cenário não se evidencia somente na mais alta corte do país, é apenas retrato das mulheres no direito no Brasil.

Em que pese os números de advogadas no país, o que percebe-se é que elas não estão ascendendo na carreira como deveriam ou, na proporção esperada, dados as inúmeras dificuldades, como foram citadas algumas acima.

O QUE FAZER?

As mulheres, de modo geral, devem: qualificar-se; responder e combater ao machismo, assim como se combate a ilegalidade; incentivar outras mulheres, auxiliando-as no exercício da profissão; ver o networking como uma etapa natural e necessária ao trabalho, sendo combativa caso haja desrespeito.

Os escritórios, por sua vez, diante da a baixa taxa de retenção feminina, vem cada vez mais tomando medidas para manter e propiciar à elas o desenvolvimentos de suas carreiras em mesmas condições que as dos homens.

E você é mulher e advogada, comente abaixo, o que pode ser feito para enfrentar o mundo jurídico e desenvolver a carreira na mesma proporção que os homens.

Fontes:

Dylan Schweers e Tonja Jacobi. Justice, Interrupted: The Effect Of Gender, Ideology, And Seniority At Supreme Court Oral Arguments. Disponível aqui.

Fernanda Paulo. As mulheres na advocacia: o que os números não mostram, mas podiam mostrar. Estudo Geral. Disponível aqui.

Patrícia Tuma Martins Berto. Feminização da Advocacia e Ascensão das Mulheres das Sociedades de Advogados. Disponível aqui .

woman holding smartphone
Foto por rawpixel.com em Pexels.com
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s